PAIS DISCIPULADORES, FILHOS PROMISSORES

Meu nome é Priscila, tenho 21 anos (na época em que escrevi este sermão). Quero compartilhar com você um sermão que tem como tema “Pais Discipuladores, Filhos Promissores”. Você deve estar se perguntando, o porquê vou falar sobre filhos? Não sou Mãe, muito menos Pai, não tem quase nenhuma experiência de vida, pois só tenho 21 anos. Mas o conteúdo que eu tenho foi devido ao meu discipulado e disciplina, desde a tenra infância.

A resposta é bem simples. Nada melhor do que ver o resultado para mostrar a eficácia de uma boa educação, de um bom discipulado! Não sou melhor do que ninguém, mas sim privilegiada. Fui presenteada por Deus com um pai piedoso, que teme ao Senhor e segue seus mandamentos. Baseou a educação de sua filha num dos livros mais confiáveis do mundo, que instrui: “Ensina a criança no caminho em que deve andar, e, ainda quando for velho, não se desviará dele.” – Provérbios 22:6, ou no versículo “Filho meu, não rejeites a disciplina do SENHOR, nem te enfades da sua repreensão. Porque o SENHOR repreende a quem ama, assim como o pai, ao filho a quem quer bem.” – Provérbios 3:11-12. Não estou falando somente de castigo, ou chamar a atenção, mas da vara, como esta escrito em Provérbios 13:24 – “O que retém a vara aborrece a seu filho, mas o que o ama, cedo, o disciplina”.

Estes são apenas alguns, dos muitos versículos que estão na Bíblia que falam a respeito da disciplina e do discipulado dos filhos. Sei que muito não me conhecem desde de pequena, para saber como fui transformada através da disciplina e do discipulado. Garanto, fui muito transformado e ainda estou em constante transformação. Eu reconheço que sou uma das provas de que tudo o que esta escrito na Bíblia sobre discipulado e educação de filhos realmente funciona, é exequível e mensurável.

Para muitos gerar uma criança não é difícil, mas ser um PAI! Sim, ser Pai é a primeira e mais importante decisão dos pais: fazer uma escolha consciente de ser pai. Uma decisão diária de administrar seu tempo e cuidadosamente conciliar o trabalho com as prioridades da família. As crianças não só são capazes de ver e ouvir, mas de imitar o comportamento ão capazes de ver e ouvir, mas de imitar o comportamento que vêem em seus pais. Afinal discipulado é transmitir conhecimentos, instruir, educar, doutrinar, treinar, indicar e pregar. Tudo através de atitudes. Veja o vídeo abaixo:

Por isso Deus ordenou em Salmos 78:5-7 – “Ele estabeleceu um testemunho em Jacó, e instituiu uma lei em Israel, e ordenou a nossos pais que os transmitissem a seus filhos, a fim de que a nova geração os conhecesse, filhos que ainda hão de nascer se levantassem e por sua vez os referissem aos seus descendentes; para que pusessem em Deus a sua confiança e não se esquecessem dos feitos de Deus, mas lhe observassem os mandamentos;” Ou seja, o Senhor mandou que o povo de Israel ensinassem seus filhos, e os filhos dos seus filhos e assim por diante (um círculo virtuoso), e os educassem segundo a sua Palavra, seus mandamentos, para que crescessem e continuassem a seguir o Senhor. Os pais deviam discipular seus filhos. Essa era a ordem de Deus.

Você é responsável pelo futuro do seu filho, e a culpa de seu filho não ter sido alguém que a diferença é sua, porque você não o discípulo. Para que fique bem claro darei dois exemplos do discipulado paterno na bíblia.

1. DISCIPULADO PATERNO NEGLIGENCIADO

Um discipulado negligenciado é um discipulado descuidado, mal executado. O qual não recebeu toda a importância que deveria. Eli é nosso exemplo de um discipulado paterno negligenciado.

Eli era o Juiz e Sumo Sacerdote de Siló.  Sumo Sacerdote é o nome dado ao mais alto posto religioso do povo Judeu era também a mais alta autoridade política do país. O sumo sacerdote coordenava o culto e os sacrifícios. Uma autoridade política e religiosa. Atualmente é como se fosse um bispo, que cuida de muitos ministros.

Eli tinha dois filhos: Hofni e Finéias, sacerdotes do Senhor, ou seja, eram representantes do sagrado; uma autoridade religiosa que ministrava sacrifícios ao Senhor. Podemos dizer que é parecido com um ministro, que cuida dos membros da comunidade. 

1.a.  Não temiam e respeitavam a Deus.

1 Samuel 2.12-13ª diz “Os filhos de Eli eram ímpios e não se importavam com o Senhor, nem cumpriam os deveres de sacerdote para com o povo;…” Os filhos de Eli eram homens absolutamente corruptos moral e espiritualmente. Não tinham nenhuma consideração e respeito por Deus.

Podemos considerar que Eli havia treinado seu dois filhos, mas eles rejeitaram o esforço do pai, seguindo seus caminhos pervertidos. Eles não conheciam os caminhos do Senhor, ou seja, não o conheciam na prática, visto que teoricamente o tinham aprendido com seu pai.

Quando vemos as crianças conversando durante o louvor, e não cantando, mexendo no celular e não adorando a Deus, correndo durante pregação é porque aprenderam com seus Pais a não respeitar a Deus. Lembre-se: seu filho sempre o está observando. Antes de sair de casa o pai diz: “Na igreja vamos adorar a Deus, dizer que o amamos, devemos honrar e respeitar este momento. Comporte-se!” Mas ao chegar a igreja a criança vê o pai ir atender o celular durante o culto, conversar com a pessoa ao lado, ou não cantar durante o louvor, ir ao banheiro no meio da pregação. A criança simplesmente está reproduzindo o que aprendeu com o pai. Se seu pai não respeita a Deus porque ela deveria respeitar. Ensinar teoricamente não é ensinar na prática.

 1.b. Foram repreendidos tarde demais.

1 Samuel 2.22-23 e 25  diz “Eli, já bem idoso, ficou sabendo de tudo o que seus filhos faziam a todo o Israel e que eles se deitavam com as mulheres que serviam junto à entrada da Tenda do Encontro. Por isso lhes perguntou: ‘Por que vocês fazem estas coisas? De todo o povo ouço a respeito do mal que você fazem … Se um homem pecar contra um outro homem os Juízes poderão intervir em seu favor; mas, se pecar contra o Senhor, quem intercederá por ele?’ Seus filhos, contudo, não deram atenção à repreensão do pai, pois o Senhor queria matá-los.”

Hofni e Finéias pioravam cada vez mais, fazendo do tabernáculo um local de práticas imorais, não prestavam mais culto a Deus.

No versículo 25 Eli os repreende, mas seus filhos não lhe davam ouvidos. A repreensão veio tarde demais e foi muito branda, pois Hofni e Finéias envergonhavam o nome de Deus, sua autoridade e seu poder. Apesar de que nenhuma palavra faria diferença, pois cresceram sem confiar e obedecer os mandamentos de Deus. O sumo sacerdote tinha autoridade para determinar a execução deles, mas estava moralmente fraco e continuava a amar os filhos renegados, brutos e miseráveis.

Se Eli tivesse repreendido seus filhos desde a primeira vez que tivessem errado, desde pequenos, e disciplinado, com toda certeza eles seriam diferentes. Sei que não faço idéia de como deve ser disciplinar um filho, ser duro com ele, pois algumas vezes a disciplina machuca muito. Mas existem ocasiões em que a dor é melhor do que os prazeres. Você vai chorar agora e ficar triste por ter que fazer isso, mas no futuro você vai chorar de alegria e orgulho por ver que todo o seu sacrifício valeu apena.

Quando você disciplina seu filho você não cria um sentimento de ódio dentro dele, muito pelo contrário ele vai te amar mais ainda, porque conforme ele vai crescendo e aprendendo percebe que a disciplina, a repreensão, são demonstrações de amor, de uma pessoa que se preocupa com você. Como Deus diz: “Filho, preste atenção quando o Deus Eterno o castiga e não se desanime quando ele o repreende. Porque o Eterno corrige quem ele ama, assim como um pai corrige o filho a quem ele quer bem.” Provérbios 3.11-12.

Atualmente podemos enxergar este tipo de comportamento de pais que tentam repreender seus filhos sem resultado, pois é tarde demais, em adolescentes que começam a namorar muito cedo sem uma perspectiva do futuro, sem saber o que representa um relacionamento entre um homem e uma mulher. Namoram durante muito tempo e acabam tendo relações sexuais antes da hora destroem suas vidas, pois acabam grávidas ou engravidando alguém. Namoram com homens mais velhos e são agredidas fisicamente e até ameaçadas de morte.

1.c. Davam um mau exemplo.

1 Samuel 2.24 diz Não, meus filhos, não é bom o que escuto se espalhando entre o povo do Senhor.”

Hofni e Finéias não somente pecavam, mas também levavam o povo de Deus a pecar. Por isso Deus queria matá-los. Eles faziam os outros pecarem devido ao seu mau exemplo. A imoralidade deles corrompia a vida e a fé de todo o povo. Afinal, Eli e seus filhos eram referência de vida para os judeus. Assim como todo cristão é filho de Deus e seu discípulo, tornado-se referência para pessoas com quem ele convive no dia a dia. Suma família deve ser referência a onde estiver, pois você é filho de Deus. Não significa que você e sua família não possam errar, pois vocês não são perfeitos. Mas devem se arrepender e continuar a viver segundo a vontade de Deus. Deus usa também os seus erros, para ensinar aos outros, para que não cometam os mesmos erros que você.

Se seu filho é egoísta na escola, briga sempre com as pessoas, não respeita autoridade e é mau educado. Ele dá um mau exemplo para as pessoas com quem ele convive e para os pais das outras crianças. Desta forma perde-se a oportunidade de falar do amor de Deus para as outras pessoas. Porque o que você falar cairá em descrédito, pois suas atitudes dizem o oposto.

Portanto Eli falhou no discipulado dos seus filhos. Não discípulo e não os ensinou. O grande culpado de seus filhos se desviarem dos caminhos do Senhor foi Eli.

SE VOCÊ TEM DISCIPULADO SEUS FILHOS COMO ELI, AINDA DÁ TEMPO DE MUDAR. É POSSÍVEL TOMAR UMA NOVA POSIÇÃO E MUDAR A MANEIRA DE DISCIPULAR SEUS FILHOS. EU QUERO ESTIMULA-LOS A TOMAR ESTA POSIÇÃO E DAREI UM EXEMPLO DE UM DISCIPULADO PATERNO EXECUTADO.

2. DISCIPULADO PATERNO EXECUTADO

Na bíblia podemos destacar um pai que fez muito bem seu papel. Este pai em especial chama a atenção por sua decisão de ser uma PAI PIEDOSO(Que sente por seus semelhantes um amor respeitoso, e pratica atos inspirados por esse sentimento.) E executou com maestria o discipulado de sua filha.  Alguém faz idéia de quem é este homem?

Este pai piedoso chama-se Mordecai. Ele conscientemente decidiu ser o pai adotivo de sua prima órfã, Ester(Hadassa). Este pai deve ser considerado corajoso, porque instilou essa característica em sua filha. Progressivamente ele penetrou, inseriu a coragem na essência E no caráter de Ester, tudo devido ao discipulado.

Para entendermos a relevância do discipulado que Ester recebeu de seu pai e a forma como ela marcou a história do povo judeu, temos que saber pelo menos do que se trata o livro.

Ester era uma jovem judia entre os deportados de Israel, se tornou a rainha da Pérsia, seu pai Mordecai era escriba do rei e descobriu um complô contra a vida do rei; o Grão-vizir Haman queria liquidar os judeus; Ester interveio, arriscando a própria vida, para salvar seu povo e obteve sucesso, Haman foi enforcado e os judeus autorizados a protegerem-se dando inicio a celebração da festa do Purim. Além de ser uma linda história de amor. Recomendo a todos que leiam este livro maravilhoso e vejam o filme conquista de reis.

Ao ler o livro de Ester, é possível enxergar que Mordecai era um homem convicto de sua fé, irredutível quanto a seus princípios e valores, disposto a morrer por eles.

Em Ester 3.2-6(Video) Mordecai se recusou a curvar-se diante de Hamã, o oficial do rei, ele se colocou em risco pro conta de suas convicções. Ele não se curvaria diante de ninguém além de Jeová, Deus. Resultado, Hamã queria destruir Mordecai e todos os judeus.

Haman em Ester 3.13 enviou cartas para todas as províncias do reino em nome do rei, ordenando que destruíssem, matassem e aniquilassem de vez a todos os judeus, moços e velhos, criança e mulheres e usurpassem seus bens.

Mordecai encorajou Ester a apelar ao rei em nome de seu povo. Porém existia uma lei que nenhum homem ou mulher poderia entrar na presença do Rei sem que ele o chama-se, do contrário seria a morte, a não ser que o rei estenda o cetro de ouro para a pessoa, e lhe poupe a vida. Mordecai insistiu que Ester pedisse em favor de seu povo ao rei. Ester 4.14 “Pois, se você ficar calada nesta hora, socorro e livramento surgiram de outra parte para os judeus, mas você e a família do seu pai morrerão. QUEM SABE SE NÃO FOI PARA UM MOMENTO COMO ESTE QUE VOCÊ CHEGOU A POSIÇÃO DE RAINHA?”

Mordecai conhecia muito bem sua filha e sabia que tudo que lhe havia ensinado seria colocado a prova e por isso insistiu, mas não tinha dúvida de que Deus os salvaria independente de Ester. Ester deve ter confiado totalmente em Mordecai, pois se determinou a comparecer à presença do rei por seu povo e seu pai. “Se tiver que morrer, morrerei” – Ester 4.16. Palavras de Fé e de coragem. Palavras que uma filha só poderia dizer, porque foi criada por um pai que tomou as decisões corretas.

UMA CRISE NÃO DESENVOLVE O CARÁTER, E SIM O REVELA.

O caráter que Ester revelou só pode ter-se desenvolvido pela observação do caráter de seu pai. Seu filho sempre está te observando em tudo o que você faz, pois da maneira como você agir ele agirá quando crescer.

Além de Ester Deus usou outra pessoa para realizar seu propósito. Deus usou um pai Fiel, um pai que serviu de exemplo para que sua jovem filha, afim de que ela tivesse a coragem para sustentar suas convicções.

No momento certo, Ester fez a coisa certa, pois havia sido criada por um pai piedoso. Um pai que sabia que as decisões que ele tomasse enquanto sua filha crescesse iriam ensiná-la a tomar decisões piedosas ao longo da vida. Mordecai realizou um discipulado de sucesso com sua filha, um discipulado bem executado.

Assim como Mordecai discipulou sua filha você tem essa responsabilidade de discipular seus filhos, mas para isso você tem que tomar uma decisão e manter-se firme nesta decisão, propósito.

Conclusão

Ser um bom pai significa tomar decisões difíceis, fazer sacrifícios. Decisões que mostram aos nossos filhos o que é importante para nós. Os pais não apenas decidem se envolver com seus filhos, mas devem estar disponíveis e interessado no que interessa a eles.

A grande questão é: COMO FAZER ISSO?

Como posso discipular meus filhos, que atitudes devo tomar?

O modelo do relacionamento entre pais e filhos que você deve seguir é deixado pelo Senhor Jesus em relação aos seus discípulos. Dos primeiros contatos que fez com seus discípulos até sua última reunião antes da sua crucificação, Jesus mostrou o caminho da progressão no relacionamento:

    • Começou chamando-os a seguir sua liderança;
    • Mostrou-lhes, sem receios, que o aluno não é maior que o Mestre;
    • Corrigiu-lhes severamente;
    • Apresentou-lhes valores e deu-lhes uma direção para seguir;

Em João 15.15, o Senhor concluiu o seu discipulado com os seus homens, entrando numa nova fase de relacionamento a qual chamou de Amizade. “Já não vos chamo servos (discípulo), porque o servo não sabe o que faz o seu senhor, mas tenho-vos chamado amigos, porque tudo quanto ouvi de meu Pai vos tenho dado a conhecer”.

No relacionamento com seus filhos, os pais devem entender que a Amizade será o fruto a ser colhido, mas a semente é a Disciplina e o adubo é o Treinamento. Existem quatro andares na construção da pessoa que será o seu filho, por isso devemos observar e cumprir cada etapa desta edificação. Veja:

 

 

DISCIPLINA

 

 

Até 05 anos

  • Limites Rígidos e liberdades limitadas.
  • Cada progresso de responsabilidade, faz com que os limites sejam substituídos pela liberdade.

Prática:

  • Levar no parquinho para brincar;
  • Dar um presente por bom desempenho na escola;
  • Ler para ele antes de dormir;
  • Jogar bola com ele;
  • Sempre ressaltar a qualidades do filho.
 

 

TREINAMENTO

 

06 a 12 anos

  • O pai pode treinar o filho de várias formas: em casa, na escola, na igreja, nos momentos de lazer, onde existir uma oportunidade.

  • Pode explicar em qualquer instante o que a criança esta fazendo de errado e como acertar.Pois ainda não estão jogando na vida real.

Prática:

  • Ter um momento semanal só você e Ele fazendo coisas que ele goste;

  • Incentivá-lo a ler livros de história que tragam uma lição de moral que ele possa viver;

  • Ensinar a fazer devocional, acompanhando até que aprenda a fazer sozinho.

  • Sair em família para passear;

  • Mostrar como é seu dia de trabalho, quem sabe até levá-lo junto um dia;

  • Levá-lo e pega-lo na escola para conversarem durante o caminho;

  • Levá-lo para participar da celular;

  • Tomar café da manhã em família nos finais de semana;

  • Sempre elogiá-lo;

  • Continuar a motivar o bom desempenho na escola;

  • Dar uma mesada e explicar sobre o dízimo;

  • Explicar que é Jesus e perguntar se ele quer o aceita-lo;

DANDO

INSTRUÇÕES

13 a 19 anos
  • Ele começa a ter sua responsabilidades com a escola, na igreja e com a família;

  • Podemos dar instruções de fora do campo ou no intervalo, mas não podemos parar o jogo da vida.

 Prática:

  • Determinar horários para chegar em casa, se sempre estiver cumprindo com o combinado dar um pouco mais de liberdade;

  • Fazer uma viagem só você e Ele;

  • De acordo com o desempenho na escola aumentar a mesada;

  • Ajudá-lo a procurar a vontade de Deus para a vida dele;

  • Continuar perguntando sobre o devocional;

  • Estimular a abrir uma célula para pessoas da seu idade;

  • Ter momentos semanais só ele e você;

  • Sempre elogiá-lo;

 

 

AMIZADE

 

 

Fase adulta

  • Nasce o relacionamento de amizade. O filho passou da obediência para a submissão, agora passa da submissão para a honra.

  • Obediência = respeitar por dever.
  • Submissão = respeitar por devoção.
  • Honra = valorizar e reverenciar com amor e devoção.

 Prática:

  • Manter um relacionamento aberto;
  • Continuar orando por ele;
  • Dar conselhos quando você perceber que ele está meio perdido;
  • Estimular o envolvimento com a igreja;
  • Sempre elogiá-lo.

Digo por experiência própria. Se você começar a praticar algumas dessas atitudes você terá ajudado seu filho a ser uma pessoa promissora, que irá fazer a diferença por onde passar. As pessoas irão notar que ele é diferente.

Assim como Ester foi preparada por seu pai, para fazer a diferença! Sei que também fui discipulada para fazer a diferença. Todo o investimento de tempo, paciência, amor e carinho que meu pai teve comigo, deram resultado. Eu me lembro que muitas vezes do meu pai me disciplinando, me ensinando e chorando junto comigo, sofrendo! Talvez eu ficasse com raiva dele no momento, mas depois ele me sentava em seu colo e falava: “Papai fez isso porque ele te ama”, ele queria que eu aprendesse a maneira certa de viver segundo a bíblia. Eu agradeço muito ao meu pai, por todas as vezes que ele me disciplinou e discipulou. Tenham certeza que não foram poucas. Desde de pequena sempre fui uma criança teimosa, com um gênio forte, orgulhosa. Foi através da disciplina e do discipulado que eu mudei, meu pai me ajudou a matar meu EU desde pequena facilitando muito minha vida. Pois teria que lutar contra tudo isso sozinha.

Ele ainda continua me ensinando e me orientando o que fazer. Você deve fazer o mesmo com o seu filho. Lembres-se seu filho esta te observando e irá replicar suas atitudes.

PAIS DISCIPULADORES, FILHOS PROMISSORES.

Muito Obrigada papai querido!

 Priscila de Paula

FACEBOOK: https://www.facebook.com/pridpaulaa/

INSTAGRAM: @pride_paula

 

Compartilhar

Um comentário em “PAIS DISCIPULADORES, FILHOS PROMISSORES

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *