Planejando para crescer – Aviva a tua obra Senhor

Neemias, reagiu diante das necessidades do povo de Israel com cumplicidade, amor, compromisso e total dependência de Deus em jejum e oração. Sua oração foi A.C.A.P. (adoração, confissão, argumentação e petição)

PLANEJANDO PARA CRESCER

Neemias 2:1-11 – No mês de nisã, no ano vigésimo do rei Artaxerxes, uma vez posto o vinho diante dele, eu o tomei para oferecer e lho dei; ora, eu nunca antes estivera triste diante dele. O rei me disse: Por que está triste o teu rosto, se não estás doente? Tem de ser tristeza do coração. Então, temi sobremaneira e lhe respondi: viva o rei para sempre! Como não me estaria triste o rosto se a cidade, onde estão os sepulcros de meus pais, está assolada e tem as portas consumidas pelo fogo? Disse-me o rei: Que me pedes agora? Então, orei ao Deus dos céus e disse ao rei: se é do agrado do rei, e se o teu servo acha mercê em tua presença, peço-te que me envies a Judá, à cidade dos sepulcros de meus pais, para que eu a reedifique. Então, o rei, estando a rainha assentada junto dele, me disse: Quanto durará a tua ausência? Quando voltarás? Aprouve ao rei enviar-me, e marquei certo prazo. E ainda disse ao rei: Se ao rei parece bem, deem-se-me cartas para os governadores dalém do Eufrates, para que me permitam passar e entrar em Judá, como também carta para Asafe, guarda das matas do rei, para que me dê madeira para as vigas das portas da cidadela do templo, para os muros da cidade e para a casa em que deverei alojar-me. E o rei mas deu, porque a boa mão do meu Deus era comigo. Então, fui aos governadores dalém do Eufrates e lhes entreguei as cartas do rei; ora, o rei tinha enviado comigo oficiais do exército e cavaleiros. Disto ficaram sabendo Sambalate, o horonita, e Tobias, o servo amonita; e muito lhes desagradou que alguém viesse a procurar o bem dos filhos de Israel. Cheguei a Jerusalém, onde estive três dias”.

 

 

Neemias nos ensina que necessitamos de sabedoria para desenvolvermos um planejamento estratégico, para que possamos crescer rumo ao sucesso, e o primeiro elemento que se faz necessário é …

 

     I. TEMPO PARA PLANEJAR (v.1)

Do mês de quislev até o mês de nisã, temos ai aproximadamente 4 meses, tempo que Neemias investiu, pedindo a intervenção divina na questão de Jerusalém antes de abordar o rei da Pérsia Artaxerxes, e com certeza pedindo uma estratégia para reagir aquela situação.

Meus queridos, depois de receber notícias tão trágicas, que alterem profundamente seu emocional, levando você a assentar-se e chorar, lamentando por dias, você então ora a Deus, dependendo dele, e antes de tomar qualquer atitude, espera ainda 4 meses.

Talvez eu e você no lugar de Neemias, faríamos uma oração descargo de consciência e sairíamos à luta. Sabem o que isso mostra?

  • Incapacidade de refletir e avaliar a situação em todos os aspectos,
  • A nossa incapacidade de esperar uma direção de Deus,
  • Nossa tendência de descartar um planejamento estratégico.

Quantas pessoas erram, por reagirem impulsivamente às situações inesperadas. Portanto a primeira lição que Neemias nos ensina é: DIANTE DE SITUAÇÕES INESPERADAS:

  • ORE A DEUS,
  • REFLITA E AVALIE A SITUAÇÃO
  • TRACE UM PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO.

 

     II. DISPOSTOS A SOFRER A PRESSÃO (v.2)

O hebraico diz que Neemias literalmente tinha uma face ruim, pois refletia tensão e tristeza. O rei conhecia Neemias e soube interpretar na sua fisionomia, uma tristeza profunda que atingia o âmago do seu ser.

Qualquer pessoa no lugar de Neemias não estaria em situação muito diferente.

Além da pressão dos problemas, Neemias temia ser despedido ou punido. Primeiro que o pedido que estava para fazer ao rei poderia não ser ouvido, e segundo, um servo que se apresentasse triste e mal humorado diante do rei, poderia ser considerado um conspirador ou mal empregado. Uma fisionomia triste não era tolerada na frente do rei.

Para crescer passaremos por pressão. A ansiedade vai querer te invadir, o medo percorrerá sua mente e a tristeza estará estampada na sua fisionomia. Isso é inevitável, pois o diabo fará de tudo para que você e a obra de Deus não cresçam, assim como fez com Neemias e com tantos outros homens de Deus. Precisamos estar preparados para enfrentar a pressão.

 

     III. TER CONHECIMENTO DO CONTEXTO (v.3)

Observe no versículo 3, que Neemias sabiamente, não coloca o problema como uma questão política, porém pessoal, pois ele conhecia o contexto político da época, pois em Ed.4.16-24, havia uma ordem oficial, que o rei impediu a reconstrução da cidade de Jerusalém, pois havia temor da reação do povo se estivesse fortificado.

Além do contexto político, Neemias tinha conhecimento cultural e social, sabia que os orientais se preocupavam com os túmulos dos seus antepassados e sabia também que o rei estava preparando seu próprio túmulo, entre os túmulos reais da Pérsia, como nos diz, talvez o maior historiador do povo de Israel, Flavio Josefo.

Você quer crescer e que a obra de Deus também cresça???

Precisamos conhecer o contexto que estamos inseridos, e para isso precisamos, ler os jornais, as revistas, conversar com o povo na rua, adquirindo informações para que possamos traçar um planejamento estratégico com conhecimento e sabedoria.

Você como um empresário precisa descer do seu pedestal, conversar com seus funcionários, ouvir suas opiniões, saber de suas dificuldades.

Como pais, vocês precisam conversar com seus filhos sobre os sonhos deles, suas dificuldades, suas amizades e traumas, sair com eles em lugares que gostam.

Como participantes deste ministério, vocês precisam estar com seus irmãos, almoçar e jantar com eles, tomar um café, orar juntos, viajar com outra família, ou até compartilhar suas experiências com Deus depois no culto na cantina da igreja.

Posso garantir que se vocês conhecerem o contexto que estão inseridos, serão melhores patrões, melhores pais, melhores irmãos, melhores obreiros de Deus e crescerão como nunca.

 

     IV. MANTER A DEPENDÊNCIA DE DEUS (v.4)

O rei Artaxerxes com a brevidade de alguém cujo papel habitual é decidir questões pergunta o que Neemias precisava, então o texto diz: “…então orei ao Deus dos céus.”

Neemias tinha se preparado cuidadosamente para aquele momento, e agora pedi a Deus que prepare de súbito o coração do rei, para que fosse favorável ao seu pedido. Neemias enviou uma “oração flecha”.

Perceba que sua confiança não estava no seu planejamento que foi feito minuciosamente. Ele com sua “oração fecha”, renova a sua confiança em Deus e não na sua capacidade de planejar.

Queridos, mesmo na execução de um projeto, minuciosamente planejado, continue enviando a Deus orações flechas em momentos estratégicos e dependa de Deus e não do planejamento. Porém é bom lembrar, que esta dependência não foi desculpas para não planejar.

DEPENDÊNCIA E PLANEJAMENTO ANDAM JUNTOS.

 

     V. OBJETIVIDADE NO PEDIDO (v.5-8)

    • 1. Pediu com humildade

A humildade do pedido de Neemias é refletido em duas frases:

      • “E disse ao rei: se é do teu agrado ó rei…” Neemias ao falar assim fez tudo depender do favor do rei, pois naquele momento, o rei era o senhor e autoridade sobre a vida de Neemias, e ele apenas um copeiro e servo do rei.
      • “E se teu servo achar mercê em tua presença…” Temos aqui uma antiga fórmula hebraica para introduzir uma petição qualquer a poderes divinos ou humanos.

Esta passagem me faz lembrar Ec.8.5b “O coração do sábio sabe discernir o tempo e o modo.”

A humildade demonstrada por Neemias diante do rei constrange o seu coração. Como nos aproximamos de Deus ou de qualquer autoridade quando vamos pedir algo? Vários são os textos que nos mostra que Deus está com o humildade, Is.57.15 “Eu moro num lugar alto e sagrado, mas moro também com os humildes e os aflitos, para dar esperança aos humildes e aos aflitos, novas forças.”

          Isaías 66.2 “Porque a minha mão fez todas estas coisas, e todas vieram a existir, diz o Senhor, mas o homem para quem olharei é este: o aflito e abatido de espírito e que treme da minha palavra.”

 

    • 2. Pediu em fases

É extremamente relevante ressaltar este particular, “pediu em fases”, perceba que o pedido não foi feito de uma só vez. Primeiro pede para ir restaurar a cidade onde estavam os túmulos de seus pais, e espera uma resposta. Quando o rei respondeu afirmativamente, então completou o pedido, que dava sustentação para fazer aquilo que o rei lhe permitiu fazer, ou seja, a primeira resposta do rei só teria sentido se ele respondesse favoravelmente aos pedidos que se seguiram. Podemos perceber aqui um pedido planejado, fruto de reflexão e planejamento. E por fim reitera pela segunda vez a dependência de Deus na realização da obra.

 

    • 3. Pediu de acordo com a necessidade

Neemias não pediu nada para si mesmo, porém para restauração de Jerusalém, ele pediu para a obra de Deus.

A obra de Deus precisa recursos para ser realizada, e às vezes precisamos recorrer a recursos até mesmo fora da capacidade da igreja, como fez Neemias. Muitas vezes conversei com pessoas fora da igreja local que poderiam ajudar a obra de Deus, e foi um sucesso.

Tem pessoas que tem os canais mais se acovardam em pedir algo para a obra de Deus.

PARA CRESCER, PRECISAMOS TEMPO PARA PLANEJAR, ESTAR DISPOSTOS A SUPORTAR A PRESSÃO, TER CONHECIMENTO DO CONTEXTO QUE ESTÁ INSERIDO, MANTER A DEPENDÊNCIA DE DEUS E POR FIM, TER OBJETIVIDADE NO PEDIDO.

         TODO CRESCIMENTO REQUER PLANEJAMENTO.

 

Bispo Pedro Luiz

 

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *